O Caminho Certo

 

Pedro acabara de encher os cantis de água e chamou os outros onze.

– Estamos prontos, vamos. – E foram até Jesus.

– Senhor, já podemos seguir, estamos prontos.

Mas Jesus só o olhou e sorriu.

 – Ainda não, Pedro. Vamos esperar um pouco mais.

Pedro olhou para o Cristo e tentou argumentar.

– Mestre, uma multidão nos segue, não podemos ficar parados aqui.

– Podemos sim, meu amigo, e vamos ficar. – E novamente sorriu para Pedro.

.

– Tia, não chores.

O sobrinho mais velho de uma viúva tentava lhe dar consolo. Mas era inútil. Ela chorava muito.

– Meu filho! Meu único filho! Meu Deus, por quê? Meu filho! Meu filho!

O cortejo se preparava para sair, iam levar o corpo para o sepultamento. Uma multidão acompanhava.

– Vamos por aqui. – Indicou a mulher.

– Tia, esse é o caminho mais longo, difícil, não é o caminho certo.

– Não, vamos por aqui. Meu filho amava esse caminho. E seguiu pelo caminho guiando o cortejo.

.

Pedro ficou um tempo em pé, impaciente. Andou pra lá e pra cá, até que finalmente sentou. E quando ainda estava se ajeitando, Tiago foi até ele.

– Vamos Pedro, Jesus já está indo.

Pedro olhou para o chão, soltando o resto de ar que tinha nos pulmões.

– Me ajuda aqui, Tiago. – Mas Tiago já estava longe. Levantou-se, bateu a poeira e acelerou seus passos.

Jesus ia na frente, conversando com seus amigos, mostrando o caminho. Pedro chegou junto aos doze. Estavam cansados. O caminho era pedregoso, com subidas íngremes, descidas perigosas e era longo. Pedro Exclamou:

– Senhor, esse caminho é cansativo, já tomei dois escorregões, tropiquei uma vez e vi gente caindo. Agora mesmo, se André não tivesse se agarrado em mim teria se esfolado todo. Falou e olhou para Jesus que com um olhar de compreensão disse: – Mas é o caminho certo, Pedro.

.

O cortejo seguia. A viúva chorava muito. Todos andavam lentamente, com cuidado. A mulher chegou junto da esquife, tocou-a e chorou e chorou e chorou. Os homens que carregavam o corpo pararam, todos então pararam também. A mulher chorava e os que estavam perto também choravam e tentavam consolá-la, mas nada a consolava.

– Meu filho, meu único tesouro! O que vai ser de mim? Meu Deus! Meu filho…!

.

Jesus falou a seus amigos que ia parar um pouco. Todos então pararam. Pedro sentou-se logo de imediato, não queria ser pego de surpresa novamente. Jesus ficou descansando e olhando o céu, vieram lhe trazer água. Ele agradeceu, olhou para o caminho a frente e lágrimas escorreram de seus olhos. Felipe veio até Pedro e disse:

– Vá até o Mestre e diga que temos que seguir. Já estamos aqui faz tempo.

– Eu não, vá você! Ele sempre sabe o tempo certo de tudo, a hora que Ele for eu vou.

João fez um sinal. Jesus já estava caminhando.

Pedro olhou para Felipe e estendeu a mão. Felipe sorriu e tirou o amigo do chão. E Pedro disse a Felipe:

 – É, andar com Jesus não é fácil. – E Felipe passando o braço sobre seus ombros, respondeu:

 – Fácil não é, mas é muito compensador. E imagina se não O tivéssemos. – E Pedro disse:

 – Vamos, Naim está próxima. E sem Ele estaríamos perdidos no deserto.

.

O cortejo chegou à porta da cidade, uma multidão o seguia. E vindo em direção à viúva uma quantidade enorme de pessoas. A mulher, ainda chorando, viu um homem sair do meio daquela multidão e caminhar até ela. Ele a viu chorando, tocou em seu rosto, enxugou as suas lágrimas e docemente disse:

 – Não Chores!

Ela o olhou e disse: – Meu Deus, o meu filho…

Jesus parou o esquife e com autoridade falou:

 – Jovem, a ti te digo: Levanta-te.

O jovem assentou-se e começou a falar. Jesus o pegou pela mão e o levou até sua mãe. Que, estupefata, chorava, abraçava e beijava seu filho. As multidões glorificaram a Deus. Pedro olhou para o céu e depois para Jesus, que chorava olhando para a mulher. Jesus enxugou as próprias lágrimas e olhou para Pedro. Do rosto de Pedro escorreram algumas lágrimas. Jesus as viu e as enxugou. E Pedro disse: Meu Senhor e meu Mestre, meu Caminho, minha verdade e minha Vida.

Sobre Remulo vaney Carrozzi

Meu nome é Rêmulo Vaney Carrozzi. Formado em Propaganda e Marketing, em Letras e com Pós Graduação em Literatura na PUC de São Paulo. Professor, quase escritor, leitor de tudo que aparece, cristão por fé e amor, questionador por nascimento (até mesmo dessa fé) e chato de carteirinha. Escrevo porque preciso, porque tem muitas coisas na minha cabeça e elas querem sair. My name is Rêmulo Vaney Carrozzi. Graduated in Advertising and Marketing, in Literature and with a Postgraduate Degree in Literature at PUC in São Paulo. Teacher, almost writer, reader of everything that appears, Christian by faith and love, questioner by birth (even of that faith).
Esta entrada foi publicada em Contos com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

6 respostas a O Caminho Certo

  1. maria domingas da silva gonçalves. diz:

    muto linda esta historia!!!!!!!!!!!

  2. Carlos Eduardo Briselli diz:

    Fantástica interpretação da história. Realmente o nosso Deus sabe a hora certa para tudo! Excelente texto!

  3. Edvaldo diz:

    Extraordinária releitura. Que Deus abençoe.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s