Arquivo de etiquetas: Dor

Hipo

Toda segunda-feira era igual. Reunião de oração na sala dos diáconos, sempre às 07:00 em ponto. Irmã Lurdes nunca se atrasava. Com a Bíblia na mão às 07:02 a pergunta: Posso começar? E não esperava a resposta. Vamos abrir nossas … Continuar a ler

Publicado em Contos | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , | 5 Comentários

Na Lapela

Aqui sempre faz muito calor. Quase nunca chove, é sempre quente, sempre seco, árido e vazio. Quase nunca se vê água. O que me faz forte. Obriga-me a criar raízes poderosas nesta terra seca, terra dura. Nada! Quase nada, se … Continuar a ler

Publicado em Crônicas | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Idruk Nalya

O mar foi profanado. As ondas cessaram. Não há mais marola. Não há mais espuma. As marés não existem mais. A água está amarga e venenosa como a lágrima. Na praia não há vento nem calor, só o espanto. Nunca … Continuar a ler

Publicado em Poesia | Etiquetas , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Cinzas

Então eu vi queimar, tudo virou cinzas que o vento levou tão linda e docemente. Tudo queimado até o final, do entardecer ao nascer do outro dia. Mas nada havia acabado. Nem a dor, nem a esperança. A casa, aquela … Continuar a ler

Publicado em Todo o resto | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

A Coroa do Rei

Era uma fila longa. As pessoas conversavam felizes: “A minha, eu acho, vai estar cravejada de diamantes” – “A minha vai ser reluzente, de puro ouro” – “Se a minha for de prata, não acho ruim, desde de que tenha … Continuar a ler

Publicado em Crônicas | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , | 3 Comentários

A Caveira e a Rã

Às vezes, sou levado de volta lá, sinto o sol bater firme na minha cara; a garganta ficar seca daquele deserto amarelo. A cidade dourada de antigas pedras que desenham torres de catedrais. E o peso do mundo no meu … Continuar a ler

Publicado em Todo o resto | Etiquetas , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Homem não Chora

No fim de mais um dia de trabalho, ele guardou as suas ferramentas e olhou para o céu. Suas mãos doíam, seus olhos doíam, o corpo todo sofria. Respirou fundo. Teve vontade de chorar. Suas narinas arderam, seus olhos se … Continuar a ler

Publicado em Crônicas | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 3 Comentários