Arquivo de etiquetas: poesia cristã

Hipo

Toda segunda-feira era igual. Reunião de oração na sala dos diáconos, sempre às 07:00 em ponto. Irmã Lurdes nunca se atrasava. Com a Bíblia na mão às 07:02 a pergunta: Posso começar? E não esperava a resposta. Vamos abrir nossas … Continuar a ler

Publicado em Contos | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , | 5 Comentários

Na Lapela

Aqui sempre faz muito calor. Quase nunca chove, é sempre quente, sempre seco, árido e vazio. Quase nunca se vê água. O que me faz forte. Obriga-me a criar raízes poderosas nesta terra seca, terra dura. Nada! Quase nada, se … Continuar a ler

Publicado em Crônicas | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Idruk Nalya

O mar foi profanado. As ondas cessaram. Não há mais marola. Não há mais espuma. As marés não existem mais. A água está amarga e venenosa como a lágrima. Na praia não há vento nem calor, só o espanto. Nunca … Continuar a ler

Publicado em Poesia | Etiquetas , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Antes de tudo. Depois do fim.

Antes de tudo. Quando não havia nem a luz nem a escuridão, Ele já me amava. Ele me amou com tudo o que É e, mesmo eu sendo como sou, e tendo feito o que fiz, Ele ainda me ama. … Continuar a ler

Publicado em Todo o resto | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Brisa

Um dia, um menino quis falar com Deus. Subiu na mais alta árvore da mais alta montanha e gritou: “Deus o Senhor está me ouvindo?!” Só ouviu o vento, mas o vento cantava tão bonito! Um canto doce, leve, suave. … Continuar a ler

Publicado em Contos | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

O Baile da Graça

Otávio estava sentado no sofá se lamentando. “Por que, meu Deus, por quê?”. De cabeça baixa, enxugava algumas lágrimas. Estava na casa de uns amigos e a reunião ia começar. O interfone tocou. Era Maria. Cleuza, a dona da casa, … Continuar a ler

Publicado em Crônicas | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Quase um Soneto

  Tudo se foi na rude cruz. No corpo morto e sem calor A pedra movida traz a luz. Nas lágrimas, o fim da dor.   Pregos marcam, na carne, a ferida. Escorreu o sangue do vil espinho. No milagre … Continuar a ler

Publicado em Poesia | Etiquetas , , , | 3 Comentários