Aquivos por Autor: Remulo vaney Carrozzi

Sobre Remulo vaney Carrozzi

Meu nome é Rêmulo Vaney Carrozzi. Formado em Propaganda e Marketing, em Letras e com Pós Graduação em Literatura na PUC de São Paulo. Professor, quase escritor, leitor de tudo que aparece, cristão por fé e amor, questionador por nascimento (até mesmo dessa fé) e chato de carteirinha. Escrevo porque preciso, porque tem muitas coisas na minha cabeça e elas querem sair. My name is Rêmulo Vaney Carrozzi. Graduated in Advertising and Marketing, in Literature and with a Postgraduate Degree in Literature at PUC in São Paulo. Teacher, almost writer, reader of everything that appears, Christian by faith and love, questioner by birth (even of that faith).

Conto pichado numa estação de trem abandonada

O amor te arrastou até aqui. Ele te manteve viva por todos esses dias, por todo esse tempo. Beijava-lhe a boca aos domingos pela manhã e à noite amava-te sem culpa ou perdão. Mas numa segunda-feira ele te abandonou. Você … Continuar a ler

Publicado em Poesia | Etiquetas , , | Publicar um comentário

Antes de tudo. Depois do fim.

Antes de tudo. Quando não havia nem a luz nem a escuridão, Ele já me amava. Ele me amou com tudo o que É e, mesmo eu sendo como sou, e tendo feito o que fiz, Ele ainda me ama. … Continuar a ler

Publicado em Todo o resto | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Este Mundo

Era a primeira entrevista de emprego depois de 14 meses parado. Um misto de euforia, medo e esperança lhe faziam tremer. – Ainda bem que meu irmão me emprestou o sapato novo dele. E seu pai a calça. Nunca gostei … Continuar a ler

Publicado em Crônicas | Etiquetas , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Homem não Chora

No fim de mais um dia de trabalho, ele guardou as suas ferramentas e olhou para o céu. Suas mãos doíam, seus olhos doíam, o corpo todo sofria. Respirou fundo. Teve vontade de chorar. Suas narinas arderam, seus olhos se … Continuar a ler

Publicado em Crônicas | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 4 Comentários

Brisa

Um dia, um menino quis falar com Deus. Subiu na mais alta árvore da mais alta montanha e gritou: “Deus o Senhor está me ouvindo?!” Só ouviu o vento, mas o vento cantava tão bonito! Um canto doce, leve, suave. … Continuar a ler

Publicado em Contos | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários

Espinhos

Um senhor de pele enrugada e dias fartos caminhava pelo seu simples jardim quando ouviu as lágrimas de uma de suas netinhas. Ela chorava desconsoladamente, escondida atrás de algumas rosas vermelhas. O senhor a pegou no colo e a carregou … Continuar a ler

Publicado em Crônicas | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Osrremos

Remava triste e solitário o meu barquinho. Eu seguia num longo rio. Às vezes, as suas margens eram tão próximas que eu quase ficava encalhado; outras, as margens eram tão distantes que eu podia jurar que remava num oceano. E … Continuar a ler

Publicado em Contos | Etiquetas , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Meu Defensor

O sol, tímido, desponta colorindo o céu. Caminho até a beira da água, uma imensidão de esplendor e beleza. O sol, agora um pouco mais alto, sai do horizonte iluminando e dando glória à criação de Deus. Uma pequena onda … Continuar a ler

Publicado em Crônicas | Etiquetas , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

O Caminho Certo

  Pedro acabara de encher os cantis de água e chamou os outros onze. – Estamos prontos, vamos. – E foram até Jesus. – Senhor, já podemos seguir, estamos prontos. Mas Jesus só o olhou e sorriu.  – Ainda não, … Continuar a ler

Publicado em Contos | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , | 11 Comentários

Um ano nove meses e dezesseis dias

O deserto. Com a dor, o deserto te invade, tudo é o deserto. Fica-se sozinho. A morte e o abandono te enterram. A dor é tão forte que se deseja o deserto, só ele conforta. Fica-se tão só que aqueles … Continuar a ler

Publicado em Crônicas | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário